27 de fevereiro de 2008

CQQ 10 - Batman no Túnel do Tempo

Quando eu pensei em escolher uma revista para postar como minha HQ favorita, logo me lembrei de um série do Batman onde ele era colocado em uma época diferente. A primeira que eu me lembrei foi Batman – A Guerra de Secessão. Esta revista foi à primeira revista de uma série que eu sempre gostei muito: “Túnel do Tempo”. Nas revistas desta série, os personagens clássicos da DC são colocados em épocas , locais e circunstâncias diferentes daquelas que estamos acostumados a vê-los. Só esta idéia por si só já seria uma coisa muito interessante, mas na minha opinião o Batman é um dos melhores personagens para se trabalhar com este conceito, pois este é um dos mais verossímeis personagens da DC. Não seria muito difícil de aceitar que uma pessoa resolva se tornar um “Batman”. Para isso seria necessária “apenas” uma fortuna inesgotável, um certo trauma de infância e não ser muito certo da idéia. Como eu já comentei em um post anterior, um cara que veste uma fantasia colante e sai pela noite caçando bandidos, deve ter um parafuso a menos (ou a mais !). Bem, na verdade, um personagem que não passa de um ser humano extremamente determinado poderia ser colocado em qualquer parte do tempo e do espaço que mesmo assim ele teria as mesmas atitudes e convicções que fariam dele um Herói .

Batman – A Guerra de Secessão

Roteiro – Elliot S. Maggin
Desenhos – Alan Weiss
Época – 1861
Local – Nevada – EUA
Circunstâncias – Os Estados Sulistas, retrógrados e escravagistas, se rebelaram contra a União e iniciaram uma empreitada para se separar do resto do país.Abraham Lincoln, presidente dos EUA, na época, se opôs duramente aos rebeldes e liderou os estados nortistas – democratas e industrializados – na luta para manter a nação coesa.
O coronel Wayne é convocado pelo presidente para recuperar milhões em ouro e prata que iriam financiar os esforços de guerra. A historia se assemelha aqueles filmes da cavalaria americana contra os índios. Além disso, é impossível não perceber a incrível semelhança deste Batman com outros heróis mascarados que com certeza influenciou a criação do personagem original, o Zorro e o Cavaleiro Solitário (com direito a revolver, chicote e um companheiro índio, neste caso, o Robin atende pelo nome de pássaro vermelho)

Gotham City 1889

Roteiro – Brian Augustyn
Desenhos – Michael Mignola
Época – 1889
Local – Gotham City
Circunstâncias – Anos após o assassinato de seus pais e depois de sair pelo mundo em busca de aprendizado e treinamento, Bruce Wayne retorna de Londres para Gotham City, para iniciar sua missão pessoal de encontra o assassino de seus pais. Nesta época Londres se encontra aterrorizada com os terríveis casos de assassinatos cometidos pelo misterioso Jack, o Estripador. Coincidentemente, em Gotham começam a aparecer casos um tanto semelhantes. Os assassinatos de Gotham seriam obra do famoso serial killer londrino, ou da misteriosa criatura com aparência de morcego que surgiu na noite de Gotham City ? A arte de Mignola nesta edição consegue emprestar a trama à mesma atmosfera sombria que povoava a Londres daquela época.


Mestre do Futuro

Roteiro
– Brian Augustyn
Desenhos – Eduardo Barreto
Época – 1892
Local – Gotham City
Circunstâncias – Essa história se passa alguns anos após o caso de Jack, o Estripador. Bruce Wayne abandona o manto do morcego após a descoberta do assassino de seus pais. Pórem o mal cresce em Gotham City, e neste cenário surge o advento do novo século na forma de tecnologia usada para ferir as pessoas. Diante disso, Bruce Wayne perceber que Gotham City de um defensor, um campeão.E o Batman vai defender a sua cidade

Cidadão Wayne

Roteiro – Brian Augustyn e Mark Waid
Desenhos – Joe Staton
Época – 1941
Local – Gotham City
Circunstâncias – Esta história diferente das anteriores, foi inspirada numa trama no cinema, Cidadão Kane, que conta a historia de um magnata da imprensa rico e poderoso ma infeliz apesar de tudo. Situação em foi possível colocar Bruce Wayne, que após o trauma da perda, neste caso apenas do pai, se volta para combater o mundo crime como um implacável editor de um jornal que ataca impiedosamente o mundo crime. A o decorrer da trama nos levar a pensar o mais óbvio, que Bruce em sua outra identidade também combate o crime de uma forma mais direta.Porém descobrimos que surpredentemente que veste o manto do morcego não nada mais nada menos que um amigo de infância de Bruce, Harvey Dent, desfigurado e enlouquecido após ter sido queimado com ácido por um poderoso criminoso. A fim da historia o herói dentro de Bruce, acorda e vestido como um samurai vai ao encontro de Dent. Bruce consegue detê-lo, mas perece com ele como um verdadeiro herói.

O Ninja

Roteiro – Chunck Dixon
Desenhos – Enrique Villagrán
Local /Época – Japão Feudal
Circunstâncias - Nesta historia, o morcego é o símbolo de um grande ninja leal ao antigo Shogun. Como guerreiro leal ao seu mestre o ninja-morcego é perseguido por cruéis inimigos. Até um uma luta desleal contra dezenas de espadachins, o morcego se junta aos seus antepassados.Cabe então ao seu aluno, o ninja-robin, alertar e proteger o seu amo. Em sua jornada a misteriosa ninja-gata cruzará o seu caminho mais de uma vez. E o seu destino lhe trará respostas que atormentam a sua alma a surprendente revelação de sua verdadeira origem.



O Tirano

Roteiro – Alan Grant
Desenhos – Tom Raney e Joe Staton
Época – Futuro Próximo
Local – Gotham City
Circunstâncias – a diferença nesta trama, é que após o assassinato de seus pais, Bruce invés de ter sido criado pela Dra Leslie Thompkins e pelo mordomo Alfred, foi adotado por ninguém mais que Jonathan Crane, também conhecido como o espantalho. Sob a orientação de Crane, Bruce também se tornou o Batman como não só como protetor de Gotham, mas também como seu Ditador. A noção de ética de Bruce foi corrompida por Crane e um batman Tirano combate à criminalidade através do controle da vontade e do livre arbítrio da população. É justamente esta criminalidade, que se organiza sobre o comando do Anarquista para derrubar o déspota. Ao fim tudo Batman percebe seu erro e se coloca não mão do povo para julgá-lo, mas a população de Gotham não o perdoa e resolve puni-lo com a morte.

O Corsário

Roteiro – Chunk Dixon
Desenhos – Alcatena
Época – No tempo dos Piratas
Local – Sete Mares
Circunstâncias – Também inspirada no cinema, esta trama nos transporta para os bons filmes de piratas onde a marinha inglesa enfrentava a marinha espanhola. Neste cenário se destacavam os corsários, uma espécie de piratas, mas que deviam obediência a sua pátria e só atacavam navios de nações inimigas. Nesta época, o mais audaz dos corsários ingleses respondia pela alcunha de asas de couro.Sua missão é derrotar o perigoso pirata inimigo que planeja a sua destruição, o assustador capitão conhecido como o “Homem que ri”.



Além dessas, logo foram lançadas outras revistas com a mesma temática. Aqui eu falei apenas daquelas que tive o prazer de ler. Muito provavelmente as outras contribuíram de forma significativa para perceber que um personagem como o Batman pode ser colocado em qualquer circunstancia de tempo e espaço que mesmo assim será capaz de manter o mesmo ar sombrio que marca o personagem original.

Este post faz parte da edição especial 10 do Carnaval de Quadrinhos das Quartas, que teve como tema “Minha HQ Favorita “que teve como sede o Blog do Hiroshi . Para ver as outras favoritas visitem os outros participantes e se divirtam !!!

  1. Continue ? fala sobre o Flash.
  2. Behorde Zim fala sobre o Questão

26 de fevereiro de 2008

10.000 A.C.

Direção: Roland Emmerich
Roteiro: Roland Emmerich,Robert Rodat,Harald Kloser
Elenco: Omar Sharif, Cliff Curtis, Steven Strait (D´Leh), Camilla Belle (Evolet), Joel Fry (II), Tim Barlow

Sinopse: '10.000 a.C.' se passa em um período em que homens e feras pré-históricas lutavam pela sobrevivência na Terra e mostra as aventuras de D'Leh (Steven Strait), um jovem caçador que lidera um exército ao longo de um vasto e perigoso deserto. Enfrentando mamutes e tigres dente-de-sabre, ele segue caminho rumo a uma civilização perdida para salvar sua amada Evolet (Camilla Belle) das mãos de um maligno e poderoso guerreiro determinado a possuí-la.

Estréia: 7/3/2008 (Original) 7/3/2008 (Brasil)

25 de fevereiro de 2008

Encha a cara...mas se informe !!!


Há algun tempo atrás recebi por email o texto que segue abaixo. Talvez alguém me ache com cara de bêbado. Só bebo socialmente, socialmente toda semana (rrsss). Mas o fato é que eu acho que estas informações podem prestar algum benificio aos etilistas de plantão além de informar. Pode encher os cornos, mas pelo menos saiba o que vai acontecer. Espero comentários.
.
Seja um bêbado informado
.
1 - O que acontece com o corpo?
.
R: Conhece a história do "bateu, levou"? Ressaca é isso. Uma resposta do organismo a uma agressão que sofreu. Funciona assim: o corpo gasta glicose para metabolizar o álcool. Glicose é açúcar, açúcar é energia. Resultado: A gente fica fraca e sonolenta. O excesso de álcool também inflama o aparelho digestivo faz a cabeça doer, provoca náuseas,vômitos e aumenta a sensibilidade à luz. Enfim, ressaca não é mole não!
.
2 - Por que a dor de cabeça é insuportável?

.
R: O álcool desidrata o corpo, do dedão do pé ao cérebro. Da seguinte maneira: o etanol inibe a produção do hormônio antidiurético, e sem ele a gente faz muito mais xixi. Engoliu, pronto: é hora de ir ao banheiro. Portanto, a cabeça dói porque os neurônios sentem sede literalmente.
.
3 - Isso mata ou só é chato pra burro?
.
R: A menos que você queira se jogar do 76º andar, ressaca não mata. Todos os sintomas são passageiros, não duram muito. Mas sendo freqüentes, pode acabar em gastrite, pancreatite, cirrose... Aí, sim,vai durar muito.
.
4 - Por que a ressaca só aparece no dia seguinte?
.
R: Porque é durante o sono que o corpo do bebum trabalha para absorver todo aquele álcool que ele botou para dentro. De manhã, com o serviço feito, é hora de disparar os sintomas desagradáveis. Daí é importante para, pelo menos, diminuir os efeitos da ressaca, que o bebum antes de deitar procure ingerir muita água. O problema é se você, chapado até o talo, vai lembrar-se disso.
.
5 - Qual a diferença entre ressaca e coma alcoólico?
.
R: A quantidade de etanol que o camarada bebeu. Até determinado ponto,ele vai sentir dor de cabeça, vomitar, se arrepender e depois fica tudo bem. Além desse ponto, a taxa de açúcar no sangue cair drasticamente; o coração pode parar de bater devido à inibição que o álcool produz nos centros nervosos do cérebro responsáveis pelos batimentos; o camarada perde a consciência. Resumindo, é encrenca da grossa.
.
6 - Beber de barriga vazia é pior?
R: Muito pior. Ter comida na pança significa que o etanol não estará sozinho na corrida da digestão. O organismo vai dividir as energias entre as duas tarefas, e isso tornará mais lenta a entrada do álcool;na corrente sangüínea.
7 - Mas comer o que? Chuchu, rabada, macarrão?

R: De preferência, alimentos ricos em sal e gordura. Castanha, amendoim, queijo e, para extrapolar, salaminho. "O sal e a gordura estimulam a secreção de substâncias estomacais que protegem o estômago do álcool"
8 - Tomar uma colher de azeite antes de enfiar o pé na jaca ajuda?
R: Azeite também é gordura, portanto ajuda. Então pegue a sua colher de azeite, despeje-a num prato, adicione sal e mergulhe pedaços de pão na mistura. Isso mesmo, igualzinho ao que você faz com o couvert do restaurante.

9 - A propaganda diz para tomar um Engov antes e outro depois. Não pode ser dois depois?

R: Até pode. Um ou dois antes é que não adianta nada. Ainda não inventaram remédio que previne contra a ressaca. Tudo o que existe apenas dribla os sintomas. O Engov tem hidróxido de alumínio, que alivia os males digestivos; tem AAS, que é um analgésico; e tem cafeína, que contrai os vasos sangüíneos dilatados pelo álcool e,assim, diminui o mal-estar.

10 - Me disseram que a ressaca de vinho é a pior de todas. Confere?

R: Não. As bebidas com teor alcoólico mais alto - destilados (uísque,vodca, pinga) - é que provocam maior estrago. Elas são absorvidas mais rapidamente pelo corpo. Por dedução lógica, os fermentados (vinho,cerveja) fazem menos mal, certo? Cuidado: tudo gira em torno da quantidade.

11 - Então, o que eu faço para acordar legal amanhã?

R: O truque é simples e eficiente: intercale um copo d'água entre dois de birita. A água é o verdadeiro santo remédio anti-ressaca. Ela reidrata, dilui o álcool e facilita o trabalho dos rins e do fígado. Sem dizer que também empanturra. Numa pança cheia d'água cabe menos pinga. Trocar a água por suco ou refrigerante também funciona. Essas bebidas são ricas em carboidratos, que viram energia e ajudam a metabolizar o álcool.

12 - O camarada que fuma enquanto enche o caneco vai ter uma ressaca mais branda?

R: Pelo contrário, álcool e fumo formam uma dobradinha mais perigosa do que Caniggia e Maradona na Copa de 90. Quanto mais nicotina, menos oxigênio no sangue e mais rápido se dá o processo de intoxicação.

13 - Danou-se. Acordei de ressaca. Por que o gosto de cabo de guarda-chuva na boca?

R: Por causa da desidratação. A boca fica seca e o paladar capta osabor ácido das substâncias que o estômago despeja para processar o álcool.

14 - O que é melhor comer nessa hora?

R: Alimentos de fácil digestão para não estressar ainda mais o organismo, já detonado pelo esforço de processar o álcool. Os campeões: frutas, para reidratar e repor as vitaminas, e pão, batata e massas, para obter glicose rapidamente e fornecer energia ao corpo.

15 - Correr para a academia e malhar feito um louco ajuda?

R: Falou Superman ... o pobre-diabo do manguaceiro não tem forças nem pra ir ao banheiro, quem dera para correr na esteira. E, para fazer exercício, o corpo precisa de glicose - a mesma que está sendo usada na recuperação pós-pé na jaca. Vai querer dividir?

16 - Já sei, vou continuar bebendo...?

R: Esse é o truque do alcoólatra. Ele "rebate" a ressaca com outro porre. Funcionar funciona, se essa é a sua saída, procure os Alcoólicos Anônimos.

17 - O que eu faço pro meu quarto parar de rodar?

R: Repouso. Mantenha a luz apagada, cortinas fechadas e fique deitado. A ressaca aumenta a sensibilidade à luz. Aproveite o momento introspectivo para fazer a mais clássica das promessas: "Nunca mais vou botar uma gota de álcool na boca". Toda ressaca tem que terminar com uma baboseira dessas...

SEJA UM BÊBADO ... MAS SEJA UM BÊBADO INFORMADO

Onde os Fracos Não Têm Vez - Melhor filme do Oscar 2008

Sinopse – No oeste do Texas, na década de 80, veterano do Vietnã aproveita uma venda malfeita de drogas para fugir com US$ 2 milhões. Porém, ele passa a ser perseguido por dois assassinos indignados e extremamente interessados no dinheiro.

Melhor filme"Onde os fracos não têm vez" é o grande vencedor da noite, arrematando 4 estatuetas.

Melhor diretor - Ethan e Joel Coen, de "Onde os fracos não têm vez".

Melhor roteiro adaptado - "Onde os fracos não têm vez".

Melhor ator coadjuvante - Javier Bardem ganhou o prêmio por sua participação em "Onde os fracos não têm vez

Os outros vencedores foram :

Melhor ator - Daniel Day-Lewis, protagonista de "Sangue negro".

Melhor roteiro original - A escritora Diablo Cody, da comédia adolescente "Juno".

Melhor documentário - "Taxi to the dark side", de Alex Gibney e Eva Orner.

Melhor documentário em curta-metragem - A produção americana "Freeheld" .

Melhor trilha sonora original - Dario Marianeli ganhou por seu trabalho em "Desejo e reparação".

Melhor fotografia - O filme "Sangue negro" .

Melhor canção original - "Falling Slowly", de Glen Hansard e Marketa Irglova, do filme "Once".

Melhor filme estrangeiro - A produção austríaca "The counterfeiters", de Stefan Ruzowitzky.

Melhor edição -"O ultimato Bourne" .

Melhor atriz - Marion Cotillard venceu o Oscar por "Piaf - um hino ao amor".

Melhor mixagem de som - "O ultimato Bourne" .

Melhor edição de som - "O ultimato Bourne" .

Melhor atriz coadjuvante - Tilda Swinton por sua participação em "Conduta de risco".

Melhor curta de animação - "Peter and the wolf" .

Melhor curta-metragem - A produção francesa "Le Mozart des pickpockets" .

Melhor direção de arte - Dante Ferretti e Francesca Lo Schiavo venceram por seu trabalho em "Sweeney Todd - O barbeiro demoníaco da Rua Fleet", de Tim Burton. .

Melhores efeitos especiais - O filme "A bússola de ouro" .

Melhor maquiagem - O longa-metragem "Piaf - Um hino ao amor" .

Melhor animação - "Ratatouille", de Brad Bird.

Melhor figurino -"Elizabeth - A era de ouro" recebeu a estatueta.

20 de fevereiro de 2008

CQQ 09 - Frank Miller - Contando Boas Histórias

Frank Miller, nascido em 27 de janeiro de 1957 em Olney, Maryland (hoje com 51 anos), é um autor e desenhista de histórias em quadrinhos norte-americano conhecido pela linguagem sombria que utiliza em seus quadrinhos e por seus desenhos marcados pela presença de alto-contraste e de um estilo que faz lembrar de um filme noir.
Mas o começo de sua carreira não foi fácil, segundo Miller, tendo chegado até a passar fome na cidade de Nova York em 1975 com então 18 anos. Como sempre foi apaixonadao por histórias policiais noir, um de seus autores prediletos era Mickey Spillane, criador do detetive Mike Hammer, Miller provavelmente quando chegou a Nova York teria o sonho de escrever histórias em quadrinhos deste personagem.
Mas a realidade não foi bem essa, pois o mercado se mostrava promissor apenas para aqueles se mostravam dispostos com quadrinhos de Super Heróis, que iniciavam sua escalada para o sucesso naquela época. Sua carreira começo a se consolidar com graças a Neal Adams, que lhe possibilitou realizar seu primeiro trabalho em quadrinhos para a editora Gold Key, na revista Twilight Zone (Além da Imaginação) n. 84, de junho de 1978, em que fez a arte para a história "Royal Feast". Outros trabalhos seguiram, para a DC Comics (Weird War Tales) e Marvel Comics (John Carter: Warlord of Mars, Doc Samson). Apesar destes trabalhos, era grande sua insegurança na época e dizem até que ele passava dias desenhando uma única página par se acostumar com o estilo dos Super Heróis. 

O Início do Sucesso

Em pouco tempo, Frank passou a trabalhar como freelancer para diversas editoras, Como a DC e a Marvel. Nesta última, em 1979, passou a chamar atenção depois de uma história de duas edições (27 e 28) do "Espetacular Homem-Aranha",que chocou os fãs do aracnídeo ao mostrar um Justiceiro com capacidade de antecipar os movimentos do herói (até então tidos como imprevisíveis) e que não o assassinou apenas por se convencer de que o mesmo não era um criminoso.
Logo depois Miller foi designado a trabalhar com Daredevil (Demolidor) , atuando como desenhista regular a partir do número 158 , em colaboração com o arte-finalista Klaus Janson, e esporadicamente colaborando com o roteiro. A Partir então, da edição 168 passou a atuar como escritor oficial, quando introduziu a personagem Elektra , o primeiro dos seu grandes sucessos. A competência de Miller com o Demolidor foi tão grande que a revista foi considerada como a melhor publicação da Marvel nos dois anos seguintes a sua entrada como roteirista. A apoteose do seu trabalho como Demolido foi a trama intitulada "Born Again" ("A queda de Murdock"), publicada dos números 227 a 233, de 1986, em que, na arte de David Mazzucchelli. A trama gira em torno da derrocada da vida de Matt Murdock, o Demolidor, financeiramente, fisicamente e psicologicamente. E apos tudo isso o personagem consegue se superar e fortalecer como defensor da “Cozinha do Inferno”

Em 1982, desenhou a mini-série Wolverine, escrita por Chris Claremont, onde podemos perceber uma grande influencia da cultura oriental em sua obra. Além da trama que se passa no Japão, as garras do Wolverine foram desenhadas como se fossem lâminas de uma espada samurai.
Em 1993, ele escreveu a mini-série "Demolidor: o homem sem medo", desenhada por John Romita Jr. contando a origem do Demolidor em um estilo mais cinematográfico.
Frank também é conhecido por escrever a mini série "Ronin",inspirada no trabalho de Kazuo Koike e Goseki Kojima em Lobo Solitário. Ronin é uma história samurai de ficção científica foi a primeira de inúmeras parcerias com sua esposa Lyn Varley.

 A Consagração

O trabalho de maior impacto de Frank Miller é sem sombra de duvidas a Minesérie Batman : The Dark Knight Returns (no Brasil, O Cavaleiro das Trevas), de 1986. Na série Miller re-conceitua radicalmente o Cruzado de Capa. A História se passa num futuro próximo , 10 anos após a aposentadoria do Batman e mostra o Homem Morcego como um vigilante violento e de certo modo sem escrúpulos. Nesse trabalho também redefiniu o perfil psicológico de alguns vilões clássicos: Coringa e Duas-Caras, e acabou para sempre com a amizade cordial com o Super-Homem (O Escoteiro Azulão) mostrando-o como um personagem reacionário e distante. Tem como amigo uma espécie de hippie alucinado (Arqueiro Verde) mas sua principal aliada é uma menina que assume o papel de Robin. (Jason Todd já havia morrido na história mas não na cronologia normal. No entanto, a trama de Miller também decretou o fim do personagem, morto sem piedade pelo Coringa em Batman: A Death in the Family depois de uma enquete realizada junto aos leitores). Seguiu-se a continuação Batman: The Dark Knight Strikes Again (2001, no Brasil : O Cavaleiro das Trevas 2).
O Sucesso da revista não se restringe à ousadia do roteiro, mas também se relaciona com o esquema de construção dos elementos visuais, estruturados com base em 16 painéis ou quadrinhos por página, criando um senso de urgência que é às vezes bruscamente interrompido por meias páginas ou páginas inteiras com uma única imagem, criando um momento de alívio para o leitor, segundo o próprio Miller.
Além disso, em “Dark Knight”, Miller consegue introduzir uma atmosfera densa e ameaçadora exatamente como os romances policiais noir que ele tanto admirava.. Podemos ainda acrescentar a arte final de Klaus Janson e as cores de Lynn Varley, esposa de Miller na época, para deixar este ambiente ainda mais misterioso.
A partir do final da década de 80, embora reconhecesse que os grandes personagens , chamados comerciais, tivesse contribuído em muito para o seu sucesso Miller passou a buscar um espaço editorial alternativo em sua liberdade criativa não estivesse subordinada ao impacto lucrativo ditado pelas grandes editoras quadrinísticas como a Marvel e Dc Comics. Frank encontrou na Dark Horse o espaço que procurava e onde os direitos autorais pertencem ao autor e não a editora. Neste ambiente editorial que surgiu sua obra mais ambiciosa, o primeiro epsódio da renomada trama, Sin City, que foi publicada na revista Dark Horse Presents n. 51, de junho de 1991.
Sin City era o seu sonho de 18 anos tornado realidade. Finalmente, ele conseguia seguir nos quadrinhos as pegadas dos autores policiais que tanto admirara na juventude. Mais até: ia muito além do que estes haviam feito, criando um ritmo cinematográfico e um contraste branco e preto como poucos autores haviam feito antes dele, refletindo a influência de grandes autores dos quadrinhos, como Will Eisner e Johnny Craig.
Na editora Dark Horse Miller participou do selo Legend, em que vários escritores e artistas publicavam obras das quais mantinham a propriedade intelectual. Nesse selo ele teve publicados Give Me Liberty (Liberdade, 1990), com Dave Gibbons; Hard Boiled (1990) e Big Guy and Rusty the Boy Robot (1996), ambos com arte de Geof Darrow; e Sin City: A Dame to Kill For (1993-1994) e Sin City: The Big Fat Kill (1994-1995), dando seqüência com suas experimentações em branco e preto de forma visualmente estimulante, às aventuras de seu detetive Marv nas ruas de Basin City.
Além dos títulos já mencionados, os últimos 20 anos foram marcados por uma intensa atividade quadrinhística por parte de Frank Miller. Realizados muitas vezes em parceria com grandes nomes da indústria quadrinhística, seus trabalhos são em geral recebidos com grande receptividade por parte de leitores de todas as idades, tanto os títulos em que mostra sua interpretação de personagens consagrados do mundo dos super-heróis quanto àqueles apresenta personagens desconhecidos mas carregados de suas carcteristicas pessoais e inigualáveis. Entre seus trabalhos, podem ser citados:

Daredevil: Love and War (1986): em parceria com Bill Sienkiewicz, retoma o embate do protagonista com seu principal oponente, Kingspin (no Brasil, O Rei);
Elektra: Assassin (1986-1987): também em parceria com Sienkiewicz, apresenta uma incursão no passado da personagem por ele criada para as histórias do Demolidor (Elektra Assassina);
Batman: Year One (1987): a versão de Miller para o passado de Batman, criada em parceria com David Mazzucchelli (Batman Ano Um);
Elektra Lives Again (1990): com cores de Lynn Varley, apresenta a história da ressurreição da heroina e de sua busca pelo Demolidor (Elektra Vive);
Daredevil: Man without Fear (1993): trabalhando com John Romita Jr., reconta a história da origem do Demolidor de forma semelhante à que fizera em Batman: Year One, mas sem obter o mesmo sucesso (Demolidor: O Homem Sem Medo);
300 (1998): publicada no Brasil como 300 de Esparta, mostra a versão de Miller, com cores de Lynn Varley, de um episódio das Guerras Médicas, em que os antigos gregos e os medo-persas se enfrentaram, no século V a.C. Conhecido como Batalha das Termópilas, esse episódio relata a resistência do Rei Leônidas e seu exército de 300 espartanos e 1000 gregos livres de outras regiões contra o exército do Rei Xerxes, da Pérsia, estimado entre 60 e 70 mil homens;
Batman: The Dark Knight Strikes Again (2001-2002): seqüência de Batman: The Dark Knight Returns, desta vez realizada apenas com a ajuda de Lynn Varley na colorização; representou a capitulação de Miller ao fascínio do lucro fácil proporcionado pela proximidade às grandes corporações dos quadrinhos, sendo uma obra controversa e bastante criticada pelos leitores, que a consideram uma traição ao que o autor havia feito em sua incursões anteriores com o Cavaleiro das Trevas.
Cinema

A relação de Miller com sétima arte se inciou escrevendo roteiros para filmes, sendo os mais notáveis Robocop 2 (1990) e Robocop 3 (1993). Podemos perceber uma certa semelhança narrativa com o roteiro de Cavaleiro das Trevas, em ambas as obras a trama principal é entremeada como noticiários televisivos. Porém estas experiências foram um tanto negativas para Miller, uma vez suas idéias foram retalhadas pela produtoras dos filmes. Miller chegou a afirmar que nunca mais trabalharia em produções cinematográficas após este epsódio. Tempos depois já na Dark Horse , que é dona dos direitos do personagem Robocop, Frank fez sua própria versão em quadrinhos de Robocop 3. A posição de Miller em relação às adaptações cinamatográficas mudaria depois que Robert Rodriguez (diretor de El Mariachi) mostrou-lhe um curta-metragem baseado em um dos contos de Sin City — filmado sem o conhecimento do autor. Miller teria ficado tão satisfeito com o resultado que aceitou adaptar Sin City para o cinema em 2005. O filme foi co-dirigido por Rodriguez e Miller, tendo Quentin Tarantino como diretor especialmente convidado de uma das cenas do filme, utilizando fielmente a seqüência dos quadrinhos e o jogo de luzes e sombras dos desenhos de Frank Miller (que faz uma ponta como um padre).

Depois do sucesso dessa experiência, foi filmado 300, baseado na sua obra Os 300 de Esparta ,sua mais recente aventura cinematográfica. Em 2008 Miller dirigiu The Spirit, baseado no famoso personagem de Will Eisner.


Frank Miller se tornou como poucos um ícone tanto no universo dos quadrinhos quanto no cinema. Sua visão característica que se consolidou em uma referencia no uso do contraste de luz e sombras em seus desenhos e seus roteiros particulares que o consagraram como um dos grandes contadores de histórias do mundo dos Quadrinhos e do Cinema.
Este post faz parte da nona edição do Carnaval de Quadrinhos da Quartas que será sediado no Cibertron , e que teve como tema os Grandes Contadores de Historias do Mundo dos Quadrinhos.

Fontes : Wikepédia e Omelete


Veja os outros Contadores de Histórias lembrados pelos outros blogs participantes :

Blog do Hiroshi - Alan Moore

O Busilis - Stan Lee

Toca do Calango - Warren Ellis

Não Diga Nada - Howard Chaykin

Zine Acesso - Neil Gaiman

Reviews de Histórias em Quadrinhos - Bill Willingham

17 de fevereiro de 2008

Nova Gramática


NOVA GRAMÁTICA!


Eis aqui um programa de cinco anos para resolver o problema da falta de autoconfiança do brasileiro na sua capacidade gramatical e ortográfica.Em vez de melhorar o ensino, vamos facilitar as coisas, afinal, o português é difícil demais mesmo.

Para não assustar os poucos que sabem escrever, nem deixar mais confusos os que ainda tentam acertar, tudo será feito de forma gradual.No primeiro ano, o "Ç" vai substituir o "S" e o "C" sibilantes, e o "Z" o "S" suave.

Peçoas que açeçam a internet com freqüênçia vão adorar, prinçipalmente os adoleçentes. O "C" duro e o "QU" em que o "U" não é pronunçiado çerão trocados pelo "K", já ke o çom é ekivalente. Iço deve akabar kom a konfuzão, e os teklados de komputador terão uma tekla a menos, olha çó ke koiza prátika e ekonômika.

Haverá um aumento do entuziasmo por parte do públiko no çegundo ano, kuando o problemátiko "H" mudo e todos os acentos, inkluzive o til, çeraum eliminados. O "CH" çera çimplifikado para "X" e o "LH" pra "LI" ke da no mesmo e e mais façil. Iço fara kom ke palavras como "onra" fikem 20% mais kurtas e akabara kom o problema de çaber komo çe eskreve xuxu, xa e xatiçe.Da mesma forma, o "G" ço çera uzado kuando o çom for komo em "gordo", e çem o "U" porke naum çera preçizo, ja ke kuando o çom for igual ao de "G" em "tigela", uza-çe o "J" pra façilitar ainda mais a vida da jente.

No terçeiro ano, a açeitaçaum publika da nova ortografia devera atinjir o estajio em ke mudanças mais komplikadas çeraum poçiveis. O governo vai enkorajar a remoçaum de letras dobradas que alem de desneçeçarias çempre foraum um problema terivel para as peçoas, que akabam fikando kom teror de soletrar. Alem diço, todos konkordaum ke os çinais de pontuaçaum komo virgulas dois pontos aspas e traveçaum tambem çaum difiçeis de uzar e preçizam kair e olia falando çerio ja vaum tarde.

No kuarto ano todas as peçoas ja çeraum reçeptivas a koizas komo a eliminaçaum do plural nos adjetivo e nos substantivo e a unificaçaum do U nas palavra toda ke termina kom L como fuziu xakau ou kriminau ja ke afinau a jente fala tudo iguau e açim fika mais faciu. Os karioka talvez naum gostem de akabar com os plurau porke eles gosta de eskrever xxx nos finau das palavra mas vaum akabar entendendo. Os paulista vaum adorar. Os goiano vaum kerer aproveitar pra akabar com o D nos jerundio mas ai tambem ja e eskuliambaçaum.

No kinto ano akaba a ipokrizia de çe kolokar R no finau dakelas palavra no infinitivo ja ke ningem fala mesmo e tambem U ou I no meio das palavra ke ningem pronunçia komo por exemplo roba toca e enjenhero e de uzar O ou E em palavra ke todo mundo pronunçia como U ou I i ai im vez di çi iskreve pur ezemplu kem ker falar kom ele vamu iskreve kem ke fala kum eli ki e muito milio çertu? os çinau di interogaçaum i di isklamaçaum kontinuam pra jente çabe kuandu algem ta fazendu uma pergunta ou ta isclamandu ou gritandu kom a jenti e o pontu pra jenti sabe kuandu a fraze akabo.

Naum vai te mais problema ningem vai te mais eça barera pra çua açençaum çoçiau e çegurança pçikolojika. Todu mundu vai iskreve sempri çertu i çi intende muitu melio i di forma mais façiu e finaumenti todu mundu no Braziu vai çabe iskreve direitu ate us jornalista us publiçitario us blogeru us adivogado us iskrito i ate us pulitiko i u prezidenti. Olia ço ki maravilia.


Agora se você ler uma opinião séria e científica sobre este assunto veja a entrevista postada no

14 de fevereiro de 2008

Frank Cho. Censurado !!!

Clique na imagem para ver antes da censura

O artista Frank Cho foi novamente alvo da censura da Marvel em um dos seus trabalhos, a capa alternativa de Ultimates III #3, que mostra a Feiticeira Escarlate e Wolverine em uma cena deveras provocante.Apesar da beleza da arte a editora vai lançar a capa final com as partes "enfeitiçantes" da heroína devidamente cobertas. Repetindo a mesma atitude conservadora que teve na capa comemorativa para Ultimate Spider-Man #100, em que as partes "arredondadas" de Mary Jane foram censuradas por uma toalha. E também numa situaçã pem semelhante em uma capa para o Hulk.


- Posso ser um perdedor... mas pego a supermodelo no fim.
- Com quem você está falando Peter ?

Clique na imagem para ver antes da censura


- Tá Tranquilo. Somos primos

- Que Porra é essa ? Cacete Bruce !


Descaradamente copiado de Cibertron

Super Trunfodões


O Parceiro Zine Acesso está lançado uma edição do famoso jogo Supertrunfo numa versão... como direi... "Fodástica" !!! , é o Supertrunfodões . Um conceito de supertrunfo numa visão triunfal supertriunfal ! Você não pode perder esta opurtunidade , é só acessar , baixar e imprimir, e de quebra você pode concorrer á um edição especial. Curioso ? Passa lá e veja você mesmo.

13 de fevereiro de 2008

CQQ 08 - Fantasma, O Espírito que Anda

Na escuridão da selva, os tambores da selva murmuram: Há mais de 400 anos, uma embarcação foi atacada por piratas Singh. O filho de um lorde inglês, que sobreviveu na costa de Bangala, foi acolhido por pigmeus Bandar, Algum depois depois, recuperado fisicamente, mais ainda tomado pela dor da perda, o jovem Kit, toma um crânio descarnado de um dos assassino e profere o cérebre juramento da caveira:
"Juro que dedicarei toda minha vida à tarefa de destruir a pirataria, a ganância, a crueldade e a injustiça. E meus filhos e os filhos de meus filhos me perpetuarão".
A partir dá surge a dinastia do fantasma De pai para filho, uma herança é passada. Sempre com o mesmo uniforme, e por séculos combatendo a vilania, surge o mito da imortalidade. Na verdade,o atual herói é da 21ª geração da Dinastia do Fantasma e se chama Kit Walker como todos os seus antecessores.
O Fantasma é um personagem criado por Lee Falk (também o criador do Mandrake), Falk encarregou o desenhista Phil Davis do desenho de suas histórias. O Fantasma é um combatente do crime mascarado que usa uma roupa colante, nada muito diferente de hoje, porém, a série começou a ser publicada em jornais diariamente em 17 de fevereiro de 1936 , e aos domingos como edição colorida, em maio de 1939 , continuando até os dias atuais, ou seja o Fantasma é um personagem tão antigo, que alguns fãs afirmam que ele realmente tem 400 anos . Outra coisa que devemos nos lembrar é que o fantasma é o primeiro super herói á usar um uniforme, fato que deve ter influenciado toda a geração de super heróis que surgiram depois dele.
Já que o Fantasma é uma linhagem e não um só um homem, todo fantasma deve se casar para dá continuidade a sua linhagem se casando com com as mais diferentes mulheres como rainhas, princesas ou até mesmo com uma garçonete suíça. A mãe do atual Fantasma era americana por isso quando jovem, Kit for enviado para América para receber um educação formal, na casa de seus tios no Missisipi , onde por volta dos 12 anos o jovem Kit resolve fugir após um briga com o valentão da escola é convencido a desistir de sua idéia por um jovem garotinha de 8 anos chamada Diana Palmer, que mais tarde viria a se tornar sua esposa.
O jovem Fantasma então cresce se desenvolvendo tanto intelectualmente como fisicamente, se tornando um atleta excepcional. Até que chega uma mensagem da Floresta Negra, seu pai estava próximo da morte e pedia sua presença. Kit chega e encontra seu pai coberto de graves ferimentos , deitado sobre peles de animais a espera da morte. Ao chegar Kit repete o juramento da Caveira e recebe dois anéis, um com a marca da caveira e outro como a marca do bem.Morre o 20° Fantasma e o Jovem Kit se torna o atual herói.

O Uniforme

O Fantasma usa uma mascara preta e um uniforme colante roxo. Seu criador, Lee Falk, originalmente previu um uniforme cinza, mas quando a primeira edição dominical colorida saiu, por problemas gráficos, a cor era roxo e assim foi mantida. Após algum tempo ele criou uma história sobre um ídolo da selva que teria essa cor, inspirando o uniforme.
No Brasil antes de 1939 por razões de limitações gráficas o uniforme do Fantasma foi colorido de vermelho,assim como na Itália e na Turquia. Na Escandinávia o uniforme é azul, na Nova Zelândia é marrom e roxo no restante do mundo.O Fantasma carrega ainda duas pistolas calibre .45 em seu cinturão de couro preto com uma fivela imitando uma caveira.

Mundo próprio

Apesar de ter vários esconderijos como a Mesa Walker e a Ilha do Éden, sua base principal é a Caverna da Caveira, nas profundas florestas de Bengala, um pais fictício, que mistura partes da Índia com características da África. Em seu lar, existem dois aposentos com tesouros. Num deles, ouro, prata e jóias preciosas garantem o financiamento necessário para manter a eterna luta contra o mal. No outro, peças dignas de um rei: a espada Excalibur, a lira de Homero, a trombeta de Rolando e outras. Na carverna da caveira também podemos encontrar as Crônicas do Fantasma, numerosos livros escritos a mão que registram todas as aventuras dos 21 Fantasmas. Também encontramos a cripta onde encontramos todos os 20 antepassados do Fantasma, de onde aconselham o nosso herói.
Rex King, um jovem adotado pelo Fantasma e que participa de suas aventuras, foi encontrado quando bebê por indígenas, dentro de uma balsa. Posteriormente, descobririam que o jovem era príncipe de um local chamado Baronkhan.
O Fantasma se dedica a combater os piratas Sigh, sendo também o comandante secreto da Patrulha da Selva, que o ajuda em suas missões. Ao contrário de outros super-heróis, ele não tem superpoderes, apenas grande habilidade física, destreza com armas e agilidade. Na selva, onde mora com os pigmeus Bandar, temidos por suas flexas envenenadas. ele é conhecido como O Espirito que Anda, por ter sido visto por gerações de nativos das tribos Longo e Wambesi. Isto se dá por ter sido precedido por vinte gerações anteriores de combatentes do crime. Apenas Guran, o chefe dos pigmeus e sua família conhecem sua real condição de simples mortal.

O Anel da Caveira

O Fantasma tem dois anéis, um com a marca do bem, que aplica nas pessoas que quer proteger, e o outro é a famosa marca da caveira que ele aplica no queixo dos criminosos com potentes socos. Ele tem sempre a companhia de animais, o lobo Capeto, o cavalo Heroi e ocasionalmente, também um falcão treinado chamado Fraka.

O Espírito-que-anda

A selva tem vários ditados sobre o Fantasma, conhecidos por todo o continente. Alguns deles: "O Fantasma é violento com os violentos", "Dá medo ver o Fantasma enfurecido", "A voz irada do Fantasma gela o sangue do tigre", "O Fantasma atira mais rápido que o olhar" e outros.


Após um namoro e noivado de cerca de 40 anos, Em 1978, ele casou com sua eterna namorada, Diana Palmer, que trabalha na ONU . Um ano depois nasceramos gêmeos Kit e Heloise.
Algumas vezes, o Fantasma deixa a selva e viaja como um homem comum, usando um sobretudo, chapéu e óculos escuros, usando o nome de Mr. (Christopher) Walker ( o que anda, em inglês). Costuma pagar suas contas com pedras preciosas que pega em grandes cestos na caverna onde mora. Usa sempre sua máscara, exeto em breves momentos com a família, onde é conhecido como Kit Walker.

O Fantasma fora dos quadrinhos

Em 1943, o Fantasma foi levado ao cinema interpretado por Tom Tyler em um seriado com 15 episódios.Em 1996 o espírito que anda volta as telas interpretado por Billy Zane em um filme com contou ainda com a presença de , Kristy Swanson e Catherine Zeta-Jones e foi dirigido por Simon Wincer . O herói também participou de animações, como no desenho infantil Defensores da Terra, ao lado de personagens como Flash Gordon, Mandrake e Lothar, além do Fantasma 2040, com aventuras no futuro, apresentado uma nova geração na linhagem do herói.


Estas poucas linhas não têm a pretensão de mostrar toda a riqueza de detalhes do universo do Fantasma, mas tem como objetivo prestar uma justa homenagem ao primeiro Super Herói dos quadrinhos.
.

Esta matéria faz parte da oitava edição do Carnaval de Quadrinhos das Quartas, cujo o tema é " Quadrinhos Antigos" e teve como sede o blog Zine Acesso. Passa lá e confira as outras matérias.